Buscar
  • connectdata

10 Motivos Para Apostar Em Uma Obra Sustentável



A preocupação com as práticas sustentáveis visa promover o equilíbrio entre os ambientes natural e construído, criando soluções que preservem ao máximo a natureza, evitando ainda desperdícios durante toda a etapa construtiva de um projeto. Ou seja, uma construção sustentável precisa relacionar o uso dos recursos naturais com os impactos que todo o processo pode ter sobre o ambiente, considerando ainda aspectos econômicos e sociais.

Trata-se de um desafio para quem cria, constrói e desenvolve empreendimentos imobiliários. Para responder à crescente demanda da sociedade por edifícios mais eficientes é necessário empenho de todos os envolvidos no projeto, inclusive de fornecedores parceiros. A sustentabilidade na construção, no entanto, deve permear as diferentes etapas de um desenvolvimento imobiliário. Ou seja, desde sua concepção, passando pela construção, reciclagem ou demolição, incluindo todo o período de uso e operação.


Os Números do Desperdício

Conforme vem sendo amplamente divulgado nos últimos anos, a indústria da construção é a que mais explora e consome recursos naturais, gerando perdas ao meio ambiente. Traduzindo em números, entre 40% a 75% de recursos naturais são necessários para que o setor se mantenha ativo; já em relação a geração de resíduos sólidos, apenas no Brasil, estima-se que a média gerada pela construção civil seja em torno de 800 kg/habitante ao ano. Sem contar que as edificações respondem por 40% do consumo global de energia e por 30% das emissões globais de gases do efeito estufa.

Nos canteiros de obras, por exemplo, a água é o insumo mais utilizado. De acordo com os dados do comitê temático da água do Conselho Brasileiro de Construção Sustentável, em média, 50% da água potável fornecida para áreas urbanizadas é destinada para a construção civil. Para a produção de um metro cúbico de concreto é necessário cerca de 160 a 200 litros de água, segundo o Departamento de Engenharia de Construção Civil e Urbana da Escola Politécnica da USP.

Os dados são impactantes e exigem soluções de curto prazo para se resolver uma equação complexa, justamente por se tratar de um setor marcado pelo tradicionalismo em relação às metodologias construtivas. Prova disso, é que a adoção de sistemas e materiais que garantem menor impacto ambiental durante a construção e ao longo da vida útil das edificações são temas recorrentes há, pelo menos, 15 anos no Brasil. Alguns já são objetos de políticas públicas e foram absorvidos pelo setor, outros ainda não.


Inovação Como Aliada da Sustentabilidade

Para mudar esse cenário, a construção civil vê a industrialização de seus processos aliada ao uso de tecnologias digitais como meios de torná-la mais sustentável. Considerando a extensão do país e o grande número de pequenos e médios construtores, vale lembrar o quanto as inovações são capazes de mitigar os impactos do setor no meio ambiente.

Listamos aqui os motivos para se apostar num projeto sustentável. Confira:

  1. Redução do consumo de energia (iluminação e climatização) durante a fase de construção do empreendimento;

  2. Otimização no uso dos insumos ao reduzir o desperdício de materiais;

  3. Redução de resíduos sólidos;

  4. Segurança dos colaboradores por meio do uso de softwares de monitoramento de atividades em tempo real;

  5. Economia com os custos de manutenção do empreendimento;

  6. Economia na mão de obra, com aplicação de materiais mais leves e práticos;

  7. Aumento da produtividade;

  8. Criação de edificações mais confortáveis;

  9. Redução dos impactos ambientais no entorno;

  10. Aumento da valorização do imóvel.

Como observado ao longo do texto, a sustentabilidade é um conceito amplo que permeia a edificação do projeto à pós-ocupação. O conceito envolve uma mudança de posicionamento de toda a cadeia construtiva, pois é preciso incorporar estratégias não só de proteção ao meio ambiente, mas que também agreguem valores sociais e econômicos ao empreendimento e tudo o que o cerca.

30 visualizações0 comentário