Buscar
  • connectdata

6 dicas para otimizar o seu planejamento de obras

Provavelmente você já sabe da importância de um bom planejamento. Quando falamos dessa tarefa na construção civil, isso se torna ainda mais importante. Durante o planejamento de uma obra, são tomadas decisões imprescindíveis, tais como: métodos e formas de execução que serão utilizados, quais os prazos para cada fase do projeto, requisitos de qualidade e orçamento. São diversos fatores que você deve ficar de olho para evitar dores de cabeça no futuro.


Vale lembrar que imprevistos acontecem e são uma realidade na construção, daí a importância de um acompanhamento e monitoramento constantes. Portanto, um bom planejamento pode prever as situações mais recorrentes e antecipar ações que vão evitar atrasos e desperdícios desnecessários. E o monitoramento garante que isso aconteça. Além disso, obras planejadas e bem monitoradas são mais sustentáveis, pois evitam prejuízos econômicos, o desperdício de matéria-prima e recursos naturais.


Já parou para pensar no risco de executar um grande projeto no escuro, sem qualquer planejamento? Diferente do que muitos pensam, não basta apenas estipular datas e prazos. O planejamento deve contemplar todas as fases da construção e traçar a programação da obra desde o início do projeto até a entrega do empreendimento.


E, como sabemos, a baixa produtividade ainda é um desafio que a construção civil enfrenta. Globalmente, o crescimento da produtividade na construção foi em média de apenas 1% ao ano nas últimas duas décadas, em comparação com o crescimento de 2,8% para a economia mundial total e 3,6% no caso da indústria, conforme o estudo Reinventing construction through a productivity revolution, da McKinsey & Company. E um dos principais fatores que contribuem para esse cenário é a falta de planejamento.


E para te ajudar a entender melhor este assunto, separamos 6 dicas para você elaborar um planejamento de obras eficaz. Confira!

6 dicas para otimizar seu planejamento de obras


1. Comece pelo estudo de viabilidade O estudo de viabilidade é a análise do potencial de construção em um determinado local. Levando em consideração informações importantes, ele auxilia na tomada de decisões, além de apontar se o empreendimento será lucrativo e se a execução do projeto será permitida segundo leis urbanísticas da cidade.

2. Organize um cronograma Um bom planejamento deve contar também com os imprevistos. Para que tenha tudo sob controle, procure saber em que etapa está a obra, quais serão os próximos passos e quanto tempo irá durar cada uma dessas etapas. Com isso, elabore um cronograma de prazos e tarefas. Procure calcular o tempo de trabalho com uma margem de segurança para imprevistos e lembre-se de considerar fatores diversos, tais como:

  • Clima da região - um período de chuvas, por exemplo, pode causar atrasos;

  • Prazo para entrega de materiais - obras grandes demandam muito material, é importante estar atento aos prazos de cada fornecedor;

  • Controle da equipe de funcionários - um grande problema que o setor enfrenta é a alta rotatividade da mão de obra, por questões como motivação e preparação desses funcionários e a falta de melhorias no canteiro de obras.

3. Dedique-se ao orçamento Para esta fase, procure listar todos os custos envolvidos na obra, sejam eles diretos ou indiretos. Faça um levantamento de quanto será a despesa com insumos, mão de obra e maquinário e possíveis despesas extras que podem comprometer o seu orçamento.


4. Planeje o armazenamento de materiais Tão importante quanto planejar a compra dos materiais que serão utilizados é se preocupar em armazená-los no local correto. Isso evita atrasos nas etapas, desperdício e não compromete a rotina dos operários. Para garantir a qualidade dos insumos, é necessário se atentar à boas práticas de armazenamento como:

  • Evitar o contato do cimento com a umidade - afinal, ele reage em contato com a água;

  • Colocar a areia em local plano - por ser um material fino, ela pode se espalhar pelo canteiro e causar desperdício;

  • A pilha de tijolos deve ser baixa e coberta - para evitar a quebra do material, faça uma pilha baixa e cubra-a com uma lona para evitar a passagem de umidade;

  • Peças frágeis como pisos e revestimentos pedem maior cuidado - como quebram facilmente, devem ser armazenados da forma correta.

5. Atente-se à segurança O planejamento deve ser feito visando também à segurança de todos dentro do canteiro de obras. Por isso, lembre-se de incluir no orçamento custos com EPIs (Equipamento de proteção individual) e EPCs (Equipamento de proteção coletiva). Conhecer os programas de segurança do trabalho é essencial! Informe-se, por exemplo, sobre o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho (PCMAT) e o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO). Estes e outros programas e normas regulamentadoras procuram diminuir o índice de acidentes no setor que está entre os que mais registram acidentes de trabalho no Brasil.

6. Se preciso, reveja o planejamento

O planejamento prévio não tem de ser algo definitivo, afinal, a obra também está suscetível a imprevistos. Por isso, é muito importante que o gestor acompanhe o canteiro de perto, suas movimentações e mudanças. Conforme a obra vai sendo executava e projeto sai do papel até a fase final, mudanças ocorrem e os planos precisam ser revistos, e isto é normal. Sendo assim, faça um planejamento que possa se adequar a esses imprevistos. Esteja atento(a) caso precise mudar a rota!


Com estas dicas, você poderá otimizar o seu planejamento de obras, se atentar a cada uma das etapas e perceber o que pode ser melhorado durante o processo.

Planejamento e monitoramento: uma obra bem executada Depois de um ano repleto de acontecimentos inesperados, planejar é uma tarefa que a sua empresa nunca deve deixar de fazer. O mercado mudou bastante em um período de tempo muito curto, mas muita coisa já está em andamento: transformação digital, gerenciamento de equipe e inovação são formas de pensar em um novo modelo de planejamento. Aliás, inovar é uma das metas que grande parte das construtoras e incorporadoras já colocaram no planejamento dos próximos anos. Um levantamento feito pela Sienge e pela consultoria Grant Thornton com 643 empresas mostra que, nos próximos dois anos, 70% delas planejam adotar o BIM, com digitalização das informações de cada uma das etapas construtivas.


ConnectTrack

Como uma empresa que visa contribuir com a transformação digital da construção civil, a ConnectData vem desenvolvendo soluções práticas, simples e intuitivas a partir de tecnologias como inteligência artificial, machine learning, BIM e principalmente IoT. Uma de nossas principais ferramentas é a ConnectTrack, solução patenteada e desenvolvida pelos nossos especialistas, com a função de rastrear ativos e equipes no canteiro de obras, totalmente automatizado e à distância.


Com ela é possível o acompanhamento remoto e em tempo real da movimentação dos insumos, ativos e pessoas no canteiro, tudo isso sem a necessidade de intervenção humana. A ConnectTrack também auxilia no gerenciamento do estoque, gerando inventários automatizados e evitando desperdícios, desvios e atrasos, vantagens importantes para o desenvolvimento dos projetos, além de ser essencial na tomada de decisão sobre as necessidades de replanejamento. Tudo isso integrando IoT e BIM em uma única solução.


E então, como está o seu planejamento para 2021? Novas estratégias e metas já foram mapeadas? Suas ferramentas de controle e monitoramento definidas? Lembre-se que um novo ano sempre traz novas oportunidades e o planejamento pode ser o segredo para atingir seus objetivos.


Curta, compartilhe e continue nos acompanhando aqui no blog e em nossos canais: Instagram, Facebook e Linkedin.

49 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo