Buscar
  • connectdata

A Cultura da Inovação E Os Desafios da Construção Civil


A construção civil, que emprega cerca de 7% da população mundial, teve aumento de produtividade de 1% ao ano, nos últimos 20 anos. Enquanto para a economia mundial a média foi de 2,8% de crescimento e de 3,6% para o setor industrial, de acordo com dados da McKinsey Global Institute Os números confirmam as dificuldades do setor em obter e destinar recursos a práticas de inovação, o que acarreta baixa produtividade.

Pesquisa denominada Construção do Amanhã, realizada pela Deloitte em parceria com a Terracotta Ventures, em 2019, apontou que mais de um terço das empresas tradicionais não alocaram recursos financeiros em processos ou iniciativas de inovação, enquanto 23% investiram menos de 1% de seu orçamento nessas ações.

Para efeitos de comparação, o prêmio Inovação Brasil 2019, concedido pelo jornal Valor Econômico, mostrou que as empresas mais inovadoras investem pelo menos 5% da sua receita líquida em inovação.


Abertura à Inovação

Apesar do tradicionalismo no setor e da resistência por parte de algumas empresas, existem aquelas cuja inovação encontra-se incorporada à cultura. Mas os maiores entraves ainda quando se fala sobre o uso de tecnologias digitais são de fato culturais, devido à falta de maturidade e também de políticas públicas de incentivo. A boa notícia é que o número de construtechs e proptechs tem crescido, o que é extremamente positivo para as corporações da construção civil, que acabam estreitando parcerias para novos negócios.

Outra questão importante atrelada à inovação são as práticas de Environmental, Social and Governance (ESG) impulsionadas pelo mercado e também por uma sustentabilidade corporativa que está se organizando e crescendo nas companhias. Para as empresas, aderir aos padrões ESG é uma oportunidade não só de buscar sustentabilidade a longo prazo quanto de melhorar a eficiência nas operações.


Tecnologias Digitais Aumentam Competitividade

Os movimentos citados apontam para a existência da consciência de que o investimento em tecnologia vai além de uma estratégia de inovação e crescimento, mas de sobrevivência, por meio da geração de vantagem competitiva ou mesmo transformação nos modelos de negócios. Será cada vez maior o número de oportunidades de ganhos de produtividade e rentabilidade oferecidos pela aplicação de tecnologias digitais.

Para Gabriel Borges, CEO da ConnectData, os desafios de inovação em grandes empresas são imensos, começando pelo próprio conceito que pode ser diferenciado para cada caso. Além disso, é necessário estar ligado às estratégias e necessidades do cliente e à adequação de processos internos como, por exemplo, de suprimentos. “Enxergamos uma maior abertura e evolução gradual das empresas de engenharia. Temos conseguido, por meio das tecnologias da ConnectData, trazer visibilidade aos processos, atuando em necessidades específicas, como automatização do acompanhamento das equipes e disponibilização de materiais para execução de serviços”, explica.

Gabriel complementa que, em projetos específicos, foi possível demonstrar a necessidade de adequação de índices de orçamentos e de planejamento onde foram percebidos desvios de até 69% em comparação às diretrizes projetadas e os resultados reais dos dados coletados em campo. “Para se ter ideia, conseguimos trazer economias incrementais de até R$129.000 na execução de um único serviço, considerando produtividade de mão-de-obra e redução no consumo dos materiais”.

De fato, identificar quais soluções se adaptam às particularidades de cada corporação pode não ser uma tarefa fácil. Vale lembrar que as inovações não se referem somente ao canteiro de obras, mas a todos os setores da companhia.

Se todos os departamentos não estiverem engajados, acompanhar o crescimento e eficiência dos serviços no canteiro, alcançando índices satisfatórios de produtividade se torna uma tarefa ainda mais distante. Vale lembrar que as ferramentas digitais são imprescindíveis também ao planejamento, bem como gestão de custos de um modo geral.


Ambiente Favorável À Inovação

Há que se lembrar ainda a importância de um ambiente favorável às inovações. Ele se refere tanto ao meio interno quanto ao externo no qual a empresa está inserida. Nesse contexto, entende-se que um ecossistema favorável é aquele com políticas e processos bem estruturados, flexíveis e que permitam a sua modernização.

Com relação ao ambiente externo, é necessário também que as políticas governamentais e as universidades estimulem o desenvolvimento de pesquisas e a implantação de novas tecnologias, oferecendo programas de estímulo à inovação, que privilegiem não só as startups, mas todas as empresas que contribuírem com o desenvolvimento do mercado.


31 visualizações0 comentário