Buscar
  • connectdata

Setores que Mais Têm Atraído Startups no Brasil



O cenário dos dois últimos anos exigiu mudanças rápidas e significativas em diferentes setores. Estes impactos, no entanto, resultaram em saldo positivo para a adoção de novas tecnologias e digitalização de processos , principalmente devido à rápida necessidade de digitalização das empresas, que viram na inovação aberta uma alternativa para a sobrevivência dos seus negócios.

Num cenário de grandes transformações, a conexão com startups tornou-se uma ferramenta para que grandes corporações conseguissem encontrar soluções rápidas e eficientes, o que impulsionou os investimentos em novos negócios. Segundo dados da plataforma Crunchbase, a demanda por novas tecnologias fez com que, somente no primeiro semestre de 2021, mais de 288 bilhões de dólares fossem investidos em startups pelo mundo. Isso significa um aumento de 61% em relação ao último recorde, que registrou 179 bilhões de dólares investidos no segundo semestre de 2020, o que perfaz uma alta de 95%.

Especializada na conexão e geração de negócios entre empresas e startups, e responsável pelos principais programas de inovação aberta do país, a plataforma de inovação aberta Liga Ventures sentiu um impacto positivo no número de negócios gerados no último ano. De acordo com levantamento da empresa, somente no ano de 2021, mais de 35 grandes corporações construíram programas e relacionamentos estruturados e recorrentes com startups, um número 130% maior que em 2020.


Líderes de Mercado


O mês de fevereiro de 2022 foi muito bom para as startups brasileiras. Elas receberam US$ 763 milhões em investimentos, cerca de R$ 3,8 bilhões, representando um investimento superior ao dobro comparativamente ao mesmo período de 2021, um percentual 129% maior. Agora, as startups já somam US$ 1,36 bilhão aportados neste novo ano.

O montante arrecadado em fevereiro chegou ao longo de 40 rodadas nas empresas de tecnologia brasileira, de acordo com o mais recente relatório Inside Venture Capital, produzido pela plataforma de inovação aberta e transformação digital Distrito. Isso tudo acontece após um ano de recordes em 2021.

A liderança entre as startups brasileiras é do setor de fintech. A área ficou com US$ 567 milhões do total em fevereiro. O ranking continua com as HRTechs, com US$ 102 milhões, real estate (imobiliárias), com US$ 25,9 milhões, retailtechs (varejo), com US$ 17,2 milhões, e martechs (marketing), com US$ 14,7 milhões.


Construtechs: Como Elas Estão Revolucionando a Construção Civil

Na construção civil, as startups produzem soluções tecnológicas com o objetivo de modernizar o setor, tais como desperdícios de materiais, atrasos de projeto e falta de gestão. É o caso da ConnectData, empresa criada com este propósito.

O surgimento desses novos negócios tem despertado a atenção de grandes empresas, que nelas encontraram uma oportunidade de se transformar digitalmente.

De acordo com mapeamento feito pela Startup Scanner em parceria com a Liga Ventures, atualmente existem 255 construtechs e 294 proptechs (tecnologias voltadas ao setor imobiliário). Entre as soluções oferecidas, estão gestão de canteiros de obras, compra e gestão de suprimentos, orçamento de obras, compra e venda de imóveis, gestão do canteiro, gerenciamento de resíduos, maquetes interativas, entre outras. Dentro de um amplo espectro, entre as inovações que estão em alta podemos destacar:


Building Information Modeling (BIM)


Metodologia colaborativa e tecnologia utilizadas em todo o ciclo de vida de um empreendimento, integrando todas as informações detalhadas da obra em uma única plataforma. Torna o processo de construção mais digitalizado, produtivo e eficiente.


Internet das Coisas (loT)


Tecnologia para coleta de dados e análises auxiliares, utilizada no monitoramento e geração de insights. Isso pode ser feito por meio de inteligência artificial através da programação de algoritmos para tomar decisões, prever ações e solucionar imprevistos com base nas necessidades do projeto.


Realidade aumentada e virtual


É capaz de envolver a pessoa em 360 graus e em três dimensões (3D) para transmitir, por exemplo, a ilusão de que ela faz parte de uma cena, com as imagens ao seu redor substituídas por conteúdo virtual.


Impressão 3D


Utilizada para imprimir objetos com três dimensões (altura, largura e profundidade) e diferentes materiais. É uma das vertentes da indústria 4.0 que está transformando os processos de fabricação e de produção. Sua utilização pode trazer inúmeros benefícios


Drones

Possibilitam o fornecimento de dados estratégicos e precisos, com a visualização interativa de áreas, o monitoramento do progresso das construções, o controle de materiais e equipamentos e a manutenção do local seguro para os trabalhadores, evitando também acidentes

Vale lembrar sempre, que as iniciativas tomadas hoje e os investimentos em tecnologia por construtoras e incorporadoras é o que vai decidir o futuro da construção no Brasil nos próximos, tornando assim os projetos mais inteligentes e sustentáveis.


9 visualizações0 comentário