Buscar
  • connectdata

Principais Desperdícios na Obra Gerados pela Falta de Planejamento

Já falamos algumas vezes aqui no blog sobre a importância do planejamento para que uma obra tenha seu tempo otimizado, evite desperdícios e uma série de imprevistos. O planejamento na construção civil é uma peça chave que, não sendo realizada previamente, pode acarretar em erros e principalmente, desperdícios. Neste texto você verá alguns fatos que comprovam a relação entre a obra mal planejada e a alta porcentagem de desperdício.


Ah, em um de nossos últimos artigos, separamos algumas dicas que ajudam a otimizar o planejamento de obras como: fazer um estudo de viabilidade; organizar um cronograma que conte também com os imprevistos (como clima da região e prazo para entrega de materiais); dedicar-se ao orçamento com atenção, listando todos os custos diretos e indiretos do projeto; planejar o armazenamento de materiais; atentar-se à segurança no canteiro e no seu entorno; e rever o planejamento quando necessário. Vale dar uma conferida!


No último ano, tivemos a chance de acompanhar uma construção civil que enfrentou desafios, mas que conseguiu virar o jogo e recuperar suas perdas. Porém, um dos grandes problemas encontrados pelo setor nos últimos meses de 2020 foi a falta de insumos, o que afetou quase 90% do comércio de materiais para obras. Isto deixa claro o quanto a sustentabilidade nas construções é um assunto urgente e como não há mais espaço para desperdícios. Para que tudo fique claro, entenda melhor o que compreendemos como desperdício.

O que é o desperdício na construção civil?

Para além dos entulhos em excesso deixados para trás, devemos pensar também naqueles recursos perdidos por má aplicação, falta de controle na hora da compra e falta de planejamento adequado. Assim, podemos citar como itens desperdiçados na construção: materiais, recursos financeiros, equipamento e maquinário, e mão de obra.

1) Desperdício de materiais

Um dos itens mais desperdiçados nos canteiros de obras, são também os mais fáceis de notar. Esse desperdício acontece, principalmente, por falta de planejamento ou por um planejamento mal feito, que não estimou corretamente a quantidade de material necessária. Além disso, muitas vezes, os profissionais que executam o projeto não estão cientes de suas especificidades e, então, para que a construção seja o mais fiel possível ao projeto, realizam retrabalhos que utilizam mais recursos ou desperdiçam os que foram usados anteriormente. Outro ponto que demanda extrema atenção é o armazenamento destes materiais, que deve ser feito da maneira correta e é tão importante no planejamento quanto a compra. Garantir a qualidade dos insumos evita atrasos nas etapas, desperdícios e não compromete a rotina dos trabalhadores. Boas práticas de armazenamento envolvem:

  • Armazenar o cimento em local sem umidade - afinal, ele reage em contato com a água;

  • A areia deve ser colocada em local plano - para que não se espalhe pelo canteiro;

  • Os tijolos devem ser organizados em pilhas baixas e cobertas - isso evita que eles se quebrem e recebam umidade;

  • Peças frágeis como pisos e revestimentos pedem maior cuidado - devem ser armazenados com cuidado para que não quebrem e sejam desperdiçados.

2) Desperdício de recursos financeiros

Como já se deve imaginar, o desperdício de materiais afeta diretamente o orçamento do projeto e gera desperdícios financeiros. Sabia que a perda de materiais em uma obra pode chegar a 8% enquanto as perdas financeiras chegam a 30%? E os principais fatores que geram esse desperdício são a falta de controle de estoque, a má utilização de materiais e a falta de qualidade nos procedimentos.


Além disso, gestores que fecham as compras pedindo mais que o necessário “para garantir” o material não estão aumentando a segurança de que a obra será entregue sem imprevistos, mas aumentando seu custo. Por isso, o planejamento deve ser organizado de forma que envolva apenas o necessário para que o projeto seja executado, e a compra deve ser exata sem materiais a mais ou a menos.


3) Desperdício em equipamentos e maquinário

Este item envolve, além do acompanhamento do gestor de obras, questões logísticas. O que acarreta estes desperdícios são máquinas que acabam ficando paradas por falta de orientação e manutenção, desencontros de datas ou horários desorganizados, e a falta de planejamento da logística na hora de direcionar a frota. É importante que o gestor de obras acompanhe os processos de perto pensando no canteiro de obra de forma estratégica, desenhando a logística de cada etapa.


4) Desperdício de mão de obra

É importante lembrar que qualquer etapa da obra que não for realizada de forma organizada e eficiente, desencadeará prejuízos para outros processos. Alguns dos pontos que citamos anteriormente são a causa do desperdício com mão de obra. Por exemplo, o gerenciamento adequado dos equipamentos e maquinário garante que os trabalhadores executem suas tarefas sem interrupções ou paradas desnecessárias. Ou seja, sem um planejamento estruturado, os operários podem perder tempo por falta de material, maquinário, equipamentos, entre outros, para realizar suas atividades.

Como o desperdício impacta o setor?

A construção civil é um dos setores que mais influenciam na economia do país. Por fazer um grande uso de recursos, também gera números significativos em desperdício, o que significa perdas ambientais e econômicas. Aliás, o desperdício no setor já é um velho conhecido. De acordo com a McKinsey, a indústria da construção no Brasil é a segunda pior em termos de digitalização dos processos, gerando um desperdício de 25% dos materiais aplicados.


Outro ponto que merece atenção: a Organização das Nações Unidas (ONU) já nos alertou quanto ao nível de energia que o setor consome, sendo responsável por 40% do uso global do recurso e 30% das emissões de gases de efeito estufa relacionados à energia. Por isso, é necessário que medidas contenham esse uso desenfreado de recursos naturais e aumente ainda mais a pressão sobre o setor para minimizar esses impactos e tratar as questões ambientais com maior atenção.

Como o planejamento de obras pode ajudar?

Ao identificar os pontos mencionados anteriormente e que podem causar grandes desperdícios em sua construtora, é importante traçar estratégias para evitá-los. Atente-se a essas boas práticas na hora de planejar:


1. Liste todas as etapas da obra Principalmente antes da compra dos materiais, planeje as etapas estimando a quantidade necessária em cada uma delas. Pedidos em quantidade errada ou duplicados são vilões da economia e grandes causadores de desperdício.

2. Compre aos poucos em pequenas quantidades Uma alternativa para ter mais controle sobre os materiais e orçamento é fazer a compra por quantidades menores. Você pode calcular quanto usará em uma semana, por exemplo, e encomendar os materiais de maneira fracionada.

3. Acompanhe o estoque É essencial acompanhar as datas de validade para evitar perdas e acúmulos. Além disso, é muito importante saber o que está ou não em estoque.

4. Adote uma política de reaproveitamento Há várias formas de reaproveitar materiais da obra. Eles devem ser separados de acordo com suas especificidades, o que não for possível reaproveitar deve ser descartado corretamente. Outro ponto é que toda a equipe saiba sobre a política de reaproveitamento, assim, os funcionários podem se mobilizar e saber que a responsabilidade é de toda a empresa, afinal, a prática é de preservação ambiental e interessa a todos.

5. Use a tecnologia como sua aliada Há várias formas de reaproveitar materiais da obra. Eles devem ser separados de acordo com suas especificidades, o que não for possível reaproveitar deve ser descartado corretamente. Outro ponto é que toda a equipe saiba sobre a política de reaproveitamento, assim, os funcionários podem se mobilizar e saber que a responsabilidade é de toda a empresa, afinal, a prática é de preservação ambiental e interessa a todos.

Há diversas tecnologias que podemos encontrar hoje no mercado para mudar o cenário de desperdício que ainda assola o setor. Softwares de gestão de obras como a ConnectTrack, por exemplo, são uma grande solução. Desenvolvida pela ConnectData, essa tecnologia auxilia no gerenciamento do estoque, evitando desperdícios, desvios e atrasos, vantagens importantes que fazem a diferença no seu orçamento.

Através de alertas parametrizados, conforme as necessidades específicas de cada projeto, conseguimos antecipar “estouros de orçamento”, níveis de estoque, integrando informações e comunicando às áreas responsáveis sobre, por exemplo, a necessidade de emissão de novos pedidos de compra. Apresentamos, ainda, indicadores de atendimento ao orçamento inicial, possibilitando adequação dos índices em tempo hábil, evitando “surpresas desagradáveis” e retroalimentando projetos futuros.


Além disso, com a ConnectTrack é possível o acompanhamento remoto e em tempo real de tudo o que acontece na obra, sem a necessidade de intervenção humana. Ferramenta completa e indispensável para um planejamento e acompanhamento livre de desperdícios.


Curta, compartilhe e continue nos acompanhando aqui no blog e em nossos canais: Instagram, Facebook e Linkedin.


6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
ENTRE EM

CONTATO