Buscar
  • connectdata

Smart City: 5 Exemplos de Cidades Inteligentes pelo Mundo

Cidades inteligentes são aquelas com políticas ativas que utilizam a tecnologia para melhorar a infraestrutura urbana e tornar os centros urbanos eficientes. As medidas envolvem desde serviços diretos à população, segurança pública, sustentabilidade, transporte e soluções integradas de governança, educação, planejamento e transparência.


No Brasil, metrópoles com crescimento desenfreado, pautadas pela dependência do automóvel, enfrentam uma série de desafios como falta de mobilidade, enchentes, ilhas de calor, rios poluídos, entre muitos outros problemas. Solucionar estes gargalos não é uma tarefa simples, mas possível. Diversas cidades do mundo são exemplos do uso de tecnologias digitais aplicadas à prestação de serviços urbanos, que conseguiram resolver inúmeros problemas, devolvendo mais qualidade de vida à população.


Confira as 5 cidades que integram o ranking das mais inteligentes do mundo. Vale destacar que existem muitas outras com o projeto Smart City em andamento ou concluído, mas essas se destacam por suas ações e compromisso com a tecnologia em prol da população.


Binh Duong Smart City, Vietnã

A província de Binh Duong, em fase de construção, está utilizando a tecnologia para transformar uma região tradicionalmente agrária no novo coração econômico do Vietnã. O projeto integra a criação de uma universidade local, seis parques industriais, uma incubadora de pequenos negócios, além de uma série de laboratórios voltados à inovação e tecnologia, com rede de wi-fi pública. O objetivo é criar uma cidade ambientalmente correta e moderna.


Curitiba, Brasil

A cidade paranaense faz parte do ranking graças ao seu planejamento urbano que valoriza os espaços verdes. Também ganhou destaque pela criação de aplicativos que oferecem aos habitantes informações a respeito de prestação de serviços, com acesso livre à internet móvel em toda a metrópole. Além disso, possui um trabalho com forte apelo tecnológico. Registra na área um PIB 86% superior à média nacional. A inovação se deve à atuação do governo junto a startups. A criação de ecossistema de inovação do Vale do Pinhão, por exemplo, e a oferta de energia limpa na malha de transportes também justificam o título de cidade inteligente.


Nova York, Estados Unidos

Foi classificada como Smart City por ter implementado uma plataforma interativa que converteu 10 mil telefones públicos antigos em 8.400 pontos de conexão para utilização pública. Também foi disponibilizado 1GB de wi-fi para uma distância de até 45 a 50 metros, além de ligações gratuitas dentro dos Estados Unidos. Todo o projeto conta com aporte da publicidade local, tendo como estimativa de retorno financeiro US$ 500 milhões de dólares em até 12 anos.


Tóquio, Japão

Famosa por ser a capital da tecnologia e futurismo. E isso inclui o desenvolvimento de inovações e medidas eficientes para controlar a quantidade de energia utilizada em casas e edifícios comerciais, assim como o gerenciamento inteligente da quantidade de eletricidade utilizada nesses locais. O projeto foi colocado em prática graças à participação de empresas de tecnologia que assumiram a responsabilidade de transformar a cidade.


Copenhagen, Dinamarca

Copenhagen está no topo da lista em inteligência urbana, sendo considerada a mais inovadora em tecnologias para este fim. A cidade se comprometeu, por exemplo, em atingir a emissão neutra de carbono até 2025. Quando não há trânsito nas ruas, os semáforos se desligam automaticamente para economizar energia.


Outra solução interessante foi conseguir oferecer iluminação a partir da energia solar em muitos espaços públicos. A capital também investiu no desenvolvimento de aplicativos para encontrar vagas de estacionamento disponíveis nas ruas e gerenciadores de consumo de energia residencial. Para colocar em prática tantas melhorias na cidade, mais de 250 empresas e startups foram envolvidas no projeto, em parceria com universidades, setor público e indústrias.


230 visualizações0 comentário